Destaque PrincipalReportagens

Pernambuco recebe o festival do Pirarucu

Uma das iniciativas mais bacanas da gastronomia, o festival Gosto da Amazônia, acontece nos principais restaurantes do Estado

Por Mariana Lôbo

Depois de passar por São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, o festival Gosto da Amazônia chega aos principais restaurantes do Recife, mas também percorre o Litoral Sul e o Agreste de Pernambuco até chegar à ilha de Fernando de Noronha, em uma primeira edição para lá de especial. “A ideia do festival é promover o pirarucu selvagem de manejo da Amazônia também no Nordeste e Pernambuco foi escolhido por sua relevância gastronômica “, argumentou Sérgio Abdon, idealizador do evento.

Essa versão nordestina do festival teve direito a abertura oficial, com um grandioso encontro de chefs no restaurante Cais Rooftop – uma das vistas mais bonitas da cidade – , conduzida pelo chef da casa Renato Valadares, que recepcionou nomes consagrados do Estado, como Biba Fernandes (Chiwake / Chicama), César Santos (Oficina do Sabor), Cláudia Luna (Seu Luna), entre outros cozinheiros, empresários, jornalistas e parceiros como Arnon Marinho, distribuidor local do produto, e João da Mata, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Continua após o anúncio
Restaurante Cais Rooftop, no Recife Antigo | Foto: RJ Castilho

“É um prazer enorme estar participando de um festival tão importante para a cozinha brasileira. Recentemente, eu tive oportunidade de ir de barco de Belém a Alter do Chão, no Pará, em uma expedição gastronômica com amigos e tive oportunidade de comer o peixe ‘in loco’ e fiquei impressionado como os ribeirinhos preparando o pirarucu e outros peixes. Estamos com bastante expectativa no evento, em saber como o público pernambucano vai receber essa fusão de cozinha amazônica com interpretação pernambucana”, ressaltou Biba Fernandes, chef e proprietário dos restaurantes Chiwake e Chicama.

Lançamento | A chef Taci Teti com o organizador Sérgio Abdon e os chefs Biba Fernandes, Cláudia Luna, César Santos e Renato Valadares | Foto: RJ Castilho

O Cais Rooftop vai servir o picadito de pirarucu, banhado em azeite cítrico e suave de pimenta grelhada, ovas, crocante de nozes, queijo do reino e espuma de gengibre. “Pensamos em uma entrada atraente com o lombo do pirarucu, que foi cozido em sous-vide a 60 graus, durante quase 1 hora. Depois do lombo cozido, ele é picado na ponta da faca, temperado com laranja-cravo, especiarias e servido com um azeite especial que fazemos na casa com pimenta grelhada curtida. É perfeita para harmonizar com  espumante, vinho branco ou vinho verde”, destaca Renato Valadares.

Entrada do Cais Rooftop, pelo chef Renato Valadares | Foto: RJ Castilho

No Chicama o chef Biba Fernandes fez uma versão de um prato muito apreciado. A moqueca de pirarucu com banana da terra, arroz cremoso de jambu e pirão de pirarucu com leve toque de tucupi. O prato é a síntese perfeita entre as cozinhas do Pará e de Pernambuco. Já no Chiwake, o chef apresenta entrada e prato principal. O pastel cremoso de pirarucu com vinagrete de jambu é o abre-alas para os medalhões de pirarucu grelhados, com cogumelos puxados na manteiga de garrafa com tucupi, sobre purê de banana da terra com jambu, finalizado com chips de banana da terra.

A Moqueca do Chicama pelo chef Biba Fernandes | Foto: RJ Castilho

O chef César Santos, do Oficina do Sabor, em Olinda, trouxe o filé de pirarucu temperado com lemon pepper no azeite de oliva e manteiga de garrafa, com alho laminado, batatas salteadas, cebola, pimenta de cheiro, alcaparras e tomate cereja. O prato é servido com arroz de coco e purê de banana da terra. Por sua vez, Claudinha Luna, do bar e restaurante Seu Luna,  criou dois pratos: o Pirarucu lunar, onde o peixe é puxado na manteiga de garrafa e azeite no molho reduzido de peixe e farofa de castanha de caju; e o Pirarucu ao coco, que acompanha arroz branco, pirão e farofa de dendê.

O prato do Oficina do Sabor, do chef César Santos | Foto: RJ Castilho

Entre as casas participantes, destacam-se também pizzarias como a Forno Pizzaria que ousou em criar um disco dedicado ao peixe amazônico. A pizza com molho artesanal, emulsificado em limão siciliano é acompanhada de pirarucu marinado no caju e no limão, com lascas de queijo de cabra, finalizada com mix de folhas especiais jambu, rúcula e manjericão. Uma verdadeira alquimia de sabores também pelas mãos de  Xandão Friederich, que trouxe para o seu Brooklin Burguer o burguer cremoso de pirarucu empanado, maionese de moqueca, chips de banana da terra, sour cream de tucupi e picles da casa no pão brioche. Certamente, o público que busca novidades vai adorar.

O burguer do chef Xandão Friederich | Foto: RJ Castilho

Quem passar pelas 36 casas parceiras do Gosto da Amazônia vai experimentar criações de chefs badalados e também de empreendimentos como cafés, pizzarias, hamburguerias, creperias e poderá saborear em propostas variadas o pirarucu selvagem de manejo. São receitas únicas com o maior peixe de escamas de água doce do mundo – o gigante da Amazônia chega a três metros e 200 quilos. Além de divulgar e incentivar o consumo do peixe, o festival tem o propósito de gerar renda para as comunidades ribeirinhas e indígenas, que contribuem para a conservação de mais de 11 milhões de hectares da Amazônia.
O Gosto da Amazônia é fruto da cooperação internacional entre o governo do Brasil e dos EUA, executada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO) e Serviço Florestal dos EUA (USFS), com recursos da Agência para Desenvolvimento Internacional dos EUA (USAID) e participação da Operação Amazônia Nativa (OPAN), Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM), Memorial Chico Mendes (MCM), Associação dos Produtores Rurais de Carauari (ASPROC), Associação dos Comunitários que trabalham com Desenvolvimento Sustentável no Município de Jutaí (ACJ), Instituto Juruá, Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SINDRIO). O festival acontece de e 20 de maio a 05 de junho.

Para conhecer as casas participantes e seus pratos, basta acessar https://gostodaamazonia.com.br/festival/

Mostrar mais

Prazeres da Mesa

Lançada em 2003, a proposta da revista é saciar o apetite de todos os leitores que gostam de cozinhar, viajar e conhecer os segredos dos bons vinhos e de outras bebidas antecipando tendências e mostrando as novidades desse delicioso universo.

Artigos relacionados

Leia também
Fechar
Botão Voltar ao topo