Notícias

Dez fãs de Prazeres da Mesa enviaram receitas emblemáticas em homenagem ao aniversário da revista

Por Túlio Silva
Fotos Ricardo D’Angelo
Produção Cristina Esquilante 

Assim que um gole de chá quente, acompanhado de migalhas de madeleines, guloseima tipicamente francesa, entrou em contato com o paladar do escritor Marcel Proust, um delírio de prazer percorreu-lhe o corpo e lembranças de tempos idos vieram à tona.

Essa cena virou um dos ícones da memória afetiva, expressa pelo francês em sua obra Em Busca do Tempo Perdido (Ediouro). Hoje, tantos anos depois de sua publicação, cada vez mais se fala em memória afetiva, especialmente no quesito gastronomia.

Continua após o anúncio

Os chefs acionam essa lembrança o tempo todo ao construir os menus, tentando contar um pouquinho de sua trajetória de gostos e sabores por meio dos pratos selecionados.

Para além das cozinhas profissionais, o processo é idêntico: quantas vezes o aroma de café, junto com o de um bolo de fubá quentinho, não desperta lembranças do passado, memória de momentos felizes ao lado da família e de amigos?

Confira as receitas elaboradas pelos leitores de Prazeres da Mesa:

Bolo de linhaça e frutas vermelhas

Camarão ao salmão com manteiga de ervas
Caracóis de linguado e camarão-rosa em salsa de ervas frescas
Fettuccine sertanejo
Filé de frango ao molho de laranja
Lombo suíno recheado com farofa de maçã verde
Penne alle zucchine e bacon
Ragù de bisteca sobre fritada de milho
Sorvete de queijo com goiabada quente (Romeu e Julieta)
Torta de abacaxi

O mesmo ocorreu com os leitores da revista. Convidados a enviar suas receitas para o aniversário de 10 anos da publicação, na seção “O Leitor é o Chef”, os fãs foram além e, mais do que apenas mandar seus quitutes, relembraram toda a sua relação com a gastronomia e com Prazeres da Mesa, expressando um imenso carinho pela revista. O leitor Ubiratan Vieira, antes mesmo de a reportagem estar pronta e publicada, já havia contado para os amigos que sua receita estaria presente nesta edição. “Sempre tive o sonho de, um dia, ver um prato meu nas páginas de Prazeres da Mesa. Estou realizado e muito feliz.”

Os eleitos
Selecionar apenas dez pratos entre os mais de 50 enviados pelos leitores via prazeresdamesa.com.br foi uma tarefa árdua, mas muito prazerosa. Usamos três critérios para definir os eleitos: ingredientes utilizados, aparência do prato (foram enviadas fotos para ilustrar as receitas) e criatividade. Para completar, o chef Artur César Nagae, editor de receitas da revista, foi convocado para, na cozinha, dar vida às criações do público.

A linha comum entre as receitas dos leitores é a ligação delas com a família, mostrando o quanto a gastronomia é capaz de mudar a vida de todos no dia a dia. Alexandre Salinas é um bom exemplo. Depois de 15 anos trabalhando como designer gráfico, movido pelas memórias afetivas, resolveu abraçar nova empreitada, agora com os quitutes. “Os preparos da vovó e do meu pai, de um simples e delicioso pão com bife e queijo até um arroz mais elaborado, foram capazes de me fazer empreender na área da gastronomia”, diz.

Muitos fãs também buscam inspiração em Prazeres da Mesa para desenvolver sua visão sobre a cozinha, lendo-a em busca de referências criativas, de aprendizado sobre os novos rumos culinários e os eventos gastronômicos. Esse é o caso de Margareth Rocha, que há quatro anos assina a revista e não titubeia em dizer que tem a publicação como “referência de criação e estudo”. Para ela, a leitura de Prazeres da Mesa é a forma que encontra para manter-se antenada com as tendências da gastronomia, especialmente no quesito eventos. O mesmo ocorre com Izabela Andrade. “Para mim, cozinha não é apenas um local de executar receitas, mas também um ateliê onde podemos expressar nossa arte com os alimentos.”

Em meio a tantos pratos apetitosos, notamos que às guloseimas do dia a dia foram acrescentadas pitadas de alta gastronomia, como no caso do fettuccine sertanejo, do pernambucano Túlio Eskinazi. Ele escolheu esse prato como uma forma de homenagear o Nordeste brasileiro. Ao aliar ingredientes regionais a uma massa tão tradicional, duas receitas foram reinventadas: o baião de dois e o fettuccine italiano.

Adriana Accioly, de Fortaleza, foi além na questão das reinvenções para interpretar o famoso Romeu e Julieta. O sorvete de queijo com goiabada quente e parmesão ralado foi inspirado no costume caseiro de sua mãe de fazer sobremesas com uma base de leite condensado e creme de leite. Ao ganhar uma sorveteira, não teve dúvidas: criou a receita derradeira, na qual o marido deu o toque final ralando queijo por cima.

O bolo de linhaça com frutas vermelhas, de Carolina Sá, é fruto de várias influências. Para a leitora, o envolvimento com a vertente carioca do Slow Food, da qual é sócia, bem como sua experiência junto à Rede Brasil Rural, foram capazes de lhe dar bagagem suficiente para criar um quitute com memória afetiva gastronômica, que conecta pessoas, culturas e regiões.

Para Vitor Molina, formado em publicidade, o desafio criador é constante. Com seu camarão ao salmão não poderia ser diferente: “Fiz esse prato no Ano-Novo para a família de minha namorada. Queria algo simples, gostoso e bonito, então resolvi colocar o camarão em cima do salmão para passar uma ideia de leveza”, diz Vitor. “O importante na cozinha é a objetividade e a originalidade, sem muita perda de tempo.”

Fábio Cunha, morador de João Pessoa, Paraíba, acredita que um dos pontos mais importantes da gastronomia é a junção de cultura, história, arte, simbolismo e subjetividade. Com sua receita do filé de frango ao molho de laranja, com notas de gengibre e arroz negro, ele tenta fazer o encontro do Pantanal com o Cariri, os “sabores de seu Brasil”, máxima que inclusive utiliza em sua vida como um todo.

Alguns leitores destacaram, ainda, profissionais da casa que já os auxiliaram em aventuras gastronômicas. Esse é o caso de Adriano Lucinda que, além de agradecer a Palmira Valino, gerente de circulação de Prazeres da Mesa, pelo recebimento de edições anteriores, é muito grato ao repórter de vinhos Horst Kissmann, que o ajudou com dicas valiosas. “No ano passado, estava a trabalho em São Paulo, e pude ter a experiência de visitar o D.O.M., restaurante de Alex Atala. Pedi algumas informações extras ao Horst, que foi muito solícito comigo.”

Um pouco de história
Em 10 anos de revista, a seção “O leitor é o chef” esteve presente nas páginas de Prazeres da Mesa por nove vezes, sempre com receitas enviadas pelos fãs da publicação.

De 2003 até 2013, já foram publicados pratos como torta mousse de açaí e bananas douradas, de Rose e Ricardo Alvarenga; fideuá de l’ametlla, de AitorMarín;coelho à toscana, de Luiz Augusto Xavier;robalo ao forno, de Maria Ângela Tobias;charque com minifritas, de Paulo Pena; fettuccine com nozes e parmesão, de Alice Sobral Singer;mousse de iogurte com calda de damasco, de Fernanda Schlittler;atum ao molho de maracujá, de Antonio Lisboa de Lima; e panqueca de salmão com mostarda e mel, de Danusa Côrrea.

Com esta edição de aniversário,alcançamos a décima participação de leitores – o resultado você confere nas páginas desta reportagem.E, para manter o clima de comemoração, queremos que a seção se torne constante nos próximos números. Para isso, precisamos apenas de você, leitor. Envie sua receita favorita para [email protected] e ajude a fazer, mensalmente, a maior revista de gastronomia do Brasil.

Mostrar mais

Prazeres da Mesa

Lançada em 2003, a proposta da revista é saciar o apetite de todos os leitores que gostam de cozinhar, viajar e conhecer os segredos dos bons vinhos e de outras bebidas antecipando tendências e mostrando as novidades desse delicioso universo.

Artigos relacionados

Leia também
Fechar
Botão Voltar ao topo